Vision Europe 2016

A Europa e os refugiados

A crise dos refugiados representa um sério desafio, tanto para o bem-estar dos refugiados como para as sociedades europeias. Em 2015, mais de 1,5 milhões de migrantes entraram na União Europeia. Da Itália à Polónia e da Grécia à Alemanha, todos enfrentam desafios imensos para responderem aos pedidos de ajuda humanitária, asilo e integração, no que diz respeito à habitação, língua, trabalho e assistência social. A incapacidade de os gerir adequadamente implicará ameaças para a coesão social e a estabilidade política.

O Vision Europe, um projeto comum de oito fundações e think tanks europeus – Bertelsmann Stiftung, da Alemanha; Bruegel, da Bélgica; Fundação Calouste Gulbenkian, de Portugal; CASE – Centre for Social and Economic Research, da Polónia; Chatham House, do Reino Unido; Compagnia di San Paolo, de Itália; Jacques Delors Institute, de França; e The Finnish Innovation Fund Sitra, da Finlândia –, dedica-se, este ano, à crise dos refugiados.

As diferentes instituições estão a colaborar entre si, desde o ano passado, para investigar, debater e consequentemente informar e influenciar os decisores políticos e a opinião pública sobre alguns dos mais prementes desafios de política pública que a Europa enfrenta. Por meio de investigação, de publicações e da realização de uma conferência anual, o objetivo deste consórcio é constituir um fórum de debate e uma fonte de recomendações que, provindo da sociedade civil, permitam, de uma forma fundamentada, isenta e transparente, melhorar a tomada de decisões políticas, tanto ao nível da União Europeia como ao nível nacional.

A conferência anual – Vision Europe Summit –, que nesta edição terá a Fundação Calouste Gulbenkian como anfitriã, é o culminar da cooperação entre as oito entidades ao longo de cada ano, ao juntar mais de uma centena de decisores políticos e delegados especialistas dos Estados-membros, instituições europeias e organizações internacionais. O evento procura abordar as políticas públicas de uma forma internacional e interdisciplinar, com o objetivo de desenvolver propostas pragmáticas e soluções políticas aplicáveis, querendo assim contribuir para um debate europeu baseado na investigação e em políticas inovadoras. [A conferência realiza-se nos dias 21 e 22 de novembro, mas apenas para participantes convidados.]

Na opinião das instituições que formam o Vision Europe, os líderes europeus devem implementar em toda a Europa soluções comuns para a crise dos refugiados, uma vez que apenas soluções conjuntas poderão reduzir de forma credível e eficaz o sofrimento humano cada vez maior e a turbulência social e política.

Sob o tema A resposta à crise de migrantes e de refugiados na Europa, o Vision Europe 2016 debruça-se sobre três linhas de reflexão para o futuro:

1) “Do conflito ao equilíbrio”: construção de uma base comum para um consenso social e político sobre a receção, o acolhimento e a integração de migrantes e de refugiados nos Estados-membros da União Europeia;

2) “Da reação à pró-atividade”: desenvolvimento de mecanismos para uma ação rápida e eficiente que permita uma resposta eficaz a fluxos grandes e imprevistos de migrantes e de refugiados;

3) “Da fragmentação à integração”: receção de migrantes e de refugiados com o objetivo final de realizar a plena integração de todos aqueles que a procuram. Diferentes grupos de trabalho, liderados por especialistas em migrações, estão a estudar estes três eixos, de forma a apresentar, nesta conferência, recomendações e propostas de novas políticas para enfrentar a atual crise de refugiados.

Parte do trabalho que o consórcio está a efetuar para chegar a propostas concretas de novas políticas passou pela elaboração de três estudos, centrados nos três principais eixos de reflecção do Vision Europe 2016, que já se encontram disponíveis em inglês.

Mais informações sobre o Vision Europe em: vision-europe-summit.eu

Updated on 16 novembro 2016