Coleção Moderna: aquisições e doações

A Coleção Moderna viu crescer o seu acervo através de um conjunto diversificado de aquisições e doações realizadas no ano passado e já no início deste ano.

Foram adquiridas várias obras de artistas que estiveram representados em exposições temporárias na Fundação Gulbenkian. É o caso de uma pintura de António Charrua, um díptico fotográfico de Willie Doherty e a instalação de António Ole, Hidden Pages, Stolen Bodies, 1996-2001, obra emblemática do trabalho deste artista luso-angolano. Três esculturas de Hein Semke que integraram a exposição sobre o artista realizada em 2015/2016 foram doadas por Teresa Balté, na sequência da anterior grande doação da sua obra realizada em 2013. Foi ainda adquirida uma pintura-relevo de Maria Beatriz após uma exposição dedicada à artista realizada na Casa da Cerca, em Almada.

Para integrar a exposição Operação 1 de Portugal em Flagrante, a primeira exposição permanente da Coleção Moderna, foram adquiridos oito trabalhos sobre papel de Miguel Palma pertencentes à série «Técnico Miracle», realizados a partir de fotografias do Instituto Superior Técnico, da autoria de Horácio Novais, intervencionadas pelo artista. Para esta mostra foi também comprada uma fotografia a Eurico Lino do Vale, trabalho da série «Retrato dos Túmulos dos Reis de Portugal» sobre o túmulo de D. Carlos I, o vídeo Desvio e Consequência para uma nova (R)evolução, de José Carlos Teixeira, a instalação Matchbox: Portugal is not a Small Country, de Manuel Botelho e o vídeo de Susana Gaudêncio, Ilhas Afortunadas, 2016.

Updated on 01 fevereiro 2017