Biologia Molecular na Nigéria

Seis meses de preparação e angariação de fundos foi o que precisaram quatro cientistas do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) para organizar um curso prático de técnicas avançadas de Biologia Molecular e montar um laboratório especializado na Universidade de Bingham, na Nigéria. Esta iniciativa, ao abrigo da organização sem fins lucrativos TReND in Africa, terminou em fevereiro com a formação de 33 participantes de diferentes níveis académicos e provenientes de universidades de toda a Nigéria.

Ibukun Akinrinade, estudante de doutoramento nigeriana do IGC, tinha já participado num curso TReND e propôs aos colegas no IGC, Concetta Valerio, Dora Szakonyi e Colin Adrain, que levassem as atividades e benefícios destes cursos para a Nigéria. “O nosso objetivo era aprofundar as bases teóricas e os aspetos práticos das técnicas modernas da Biologia Molecular, facultando aos participantes do curso todo o material lecionado, de modo a que pudesse ser introduzido nas suas universidades de origem, em toda a Nigéria”, refere Ibukun Akinrinade. A equipa do IGC pretendia ainda fomentar o início de colaborações entre os participantes, bem como entre os participantes e o corpo docente do curso.

Os resultados não podiam deixar os cientistas mais entusiasmados. Segundo Colin Adrain, investigador principal do IGC, “a julgar pelo feedback dos participantes, o curso foi um sucesso”. O investigador diz ainda que com o apoio da Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO), foi ainda possível organizar paralelamente um workshop de Política Científica, onde participaram o vice-reitor da Universidade de Bingham e os reitores das Faculdades de Medicina e de Ciências, para além de outras individualidades ligadas a organismos governamentais como a National Biotechnology Development Agency e a National Universities Commission.

Concetta Valerio e Dora Szakonyi, investigadoras doutoradas do IGC, têm a esperança de que “a formação dada pelo curso, combinada com a doação de equipamentos e a criação do laboratório funcional, seja uma base sólida para a investigação, ensino e colaboração na Nigéria”.

Este workshop foi uma iniciativa TReND apoiada por diferentes organizações – The Company of Biologists (COB), The Open Plant Fund, the NeuroMagendie Institute da Universidade de Bordeaux, e EMBO – e contou com uma iniciativa de crowdfunding levada a cabo pelos organizadores do curso.